Background Image

Neuroarquitetura: Impulsione seus negócios

admin 29/08/2019

A competitividade no mercado de trabalho é um desafio diário. Segundo dados disponibilizados pelo CAU (Conselho de Arquitetura e Urbanismo), anualmente 6.500 novos profissionais entram no mercado da arquitetura no Brasil, isso significa que a cada ano a concorrência aumenta e destacar-se com um diferencial pode ser a chave do sucesso!
 

neuroarquitetura-1.jpg

Mas afinal, o que é neuroarquitetura?

Em 2003 foi criada a ANFA (Academy of Neuroscience for Architecture) – localizada em San Diego, na Califórnia, primeira instituição a utilizar o termo.
A interdisciplinaridade entre arquitetura e neurociência tem como objetivo impactar de maneira positiva o bem estar físico e emocional das pessoas, resultando em benefícios para a saúde.
O foco dessa ciência está em criar espaços para estimular sensações de bem estar, promovendo uma experiência que envolva os cinco sentidos: texturas (tato), aromas (olfato), músicas (audição), iluminação, formas e cores (visão) e paladar.

Em quais locais a aplicação do conceito é ideal? 

Não há limites! Vamos dar alguns exemplos:
Obras para ambientes residenciais e comerciais, locais públicos como praças, shoppings; escritórios, lojas, hospitais, etc.
O profissional de arquitetura deve coletar todos os dados do perfil do seu cliente, conhecer sobre suas necessidades, impulsos e principais características para que possa criar uma solução por meio do projeto.
Veja um exemplo:
O cliente que deseja melhorar a qualidade do sono necessita de um projeto com conforto acústico, com objetivo de eliminar/reduzir a presença de ruídos que interferem na hora de descanso.

neuroarquitetura-2.jpg

Há alguma consequência negativa?

O aproveitamento das emoções e efeitos comportamentais das pessoas pode influenciar de forma inadequada. De acordo com a professora do curso de "Neurociência aplicada a ambientes de criação" da FAAP, Andréa de Paiva, existem varejos e restaurantes que aplicam os conceitos do campo para as pessoas comprarem mais ou comerem mais, sem que queiram ou precisem. Mas ela ressalta que a busca pelo conhecimento nessa área é incessante: “Se o profissional não se mantiver atualizado, utilizando fontes de informação confiáveis, poderá ser levado a conclusões questionáveis”.
Aqui, queremos ressaltar a importância do arquiteto e, como o trabalho deles influência na vida das pessoas e dos ambientes. Com a especificação feita de acordo com a necessidade de cada cliente, o comportamento humano e a saúde podem ser melhorados significativamente, ainda que os resultados variem de acordo com a percepção individual.

Gostou da nossa postagem? Assine a nossa newsletter e fique por dentro dos nossos conteúdos.
 

Comentários Facebook