Background Image

“Segurança de vida”: o registro de arquitetura recusado

admin 16/05/2019

O debate tem resultado em todo o país gerando opiniões diversas entre o Conselho, profissionais da área e educadores.

img_corpo_0.png

Recentemente, o Conselho de Arquitetura e Urbanismo no Brasil determinou que não aceitará o registro de profissionais de nível bacharelado nos cursos de Arquitetura e Urbanismo na modalidade EAD (Educação a Distância) após a Reunião Plenária do Conselho que ocorreu em março.


O Ensino a Distância é um meio que facilitou o acesso e ensino das pessoas que desejam adquirir seu diploma. Com maior flexibilidade de horário, possibilita que o aluno adeque suas necessidades de tempo e localização com os estudos.


Quer saber no que essa mudança resulta? Preparamos um post com todos esses detalhes para você! Continue a leitura!


O presidente do conselho da Abed (Associação Brasileira de Educação a Distância) Waldomiro Loyolla, lamenta a posição tomada pelo CAU e reforça sua opinião dizendo "O conselho de classe tem a responsabilidade de regulamentar e supervisionar o exercício da profissão, e não de dizer se o profissional foi bem ou mal formado”.


A decisão foi tomada pelo conselho por considerarem que os cursos de Arquitetura e Urbanismos estão ligados à preservação da vida e bem-estar das pessoas, da segurança e integridade do seu patrimônio e da preservação do meio ambiente, com impactos diretos sobre a saúde do indivíduo e da coletividade.


Segundo dados do MEC, atualmente existem 32 instituições que tem autorização para oferecerem o curso pelo país. A mudança afeta diretamente os profissionais que idealizam colocar em prática e realizar projetos, pois sem o registro, ficam impedidos de exercerem a função. 


A representante das Instituições de Ensino Superior e coordenadora da Comissão de Ensino e Formação do CAU Andrea Vilella, afirma que a formação a distância na Arquitetura e Urbanismo traz riscos tão graves quanto na área da Saúde.

“Trata-se de segurança da vida, por isso outras profissões como dentistas, farmacêuticos e veterinários também criticam o ensino a distância”. 


O CAU/RS – Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio Grande do Sul divulgou uma nota pública referente a esse assunto, confira clicando aqui.


E você o que acha sobre essa decisão do CAU? Queremos que compartilhe sua opinião nos comentários abaixo.

Para ler outros artigos que preparamos no blog, basta clicar aqui.

Comentários Facebook